Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




Quais as análises que deve realizar durante a gravidez?

por Laboratórios Germano de Sousa, em 31.07.15

A saúde da mãe e do feto deve ser acompanhada durante toda a gravidez. Após confirmação da gestação, o médico assistente poderá prescrever uma série de análises que visam verificar o estado de saúde geral da grávida e garantir uma gravidez segura.

Do ponto de vista médico, o período de gravidez é dividido em 3 trimestres, nos quais são realizadas análises próprias. As mais específicas têm como objetivo avaliar a imunização para a Toxoplasmose, Rubéola, Citomegalovírus ou possíveis infeções que surjam no decorrer da gravidez, de modo a salvaguardar o bem-estar da mãe e do feto. É também efetuada a pesquisa do vírus da Hepatite B, da Sífilis e do vírus da SIDA (VIH).

A avaliação dos níveis de glicémia e despiste da diabetes gestacional são também um parâmetro importantíssimo, uma vez que elevados níveis podem despoletar problemas no desenvolvimento e crescimento do feto.

As análises de urina são também tidas em consideração durante a gravidez, constituindo um excelente indicador do bom funcionamento renal. A cultura de urina deteta também as possíveis infeções urinárias, que na grávida são muitas vezes assintomáticas.

O Hemograma Completo é também uma importante e obrigatória análise na gravidez, solicitada entre 1ª e 8ª semana de gestação, e analisa o sangue em circulação no corpo da grávida para determinar a quantidade de glóbulos vermelhos e a reserva de ferro, despistando assim vários tipos de anemias, como por exemplo as ferropénicas, causadas pela deficiência de ferro.

Durante a gravidez é ainda fulcral a determinação do grupo sanguíneo e fator Rh, de forma a verificar a incompatibilidade sanguínea entre a mãe e o feto, uma vez que a incompatibilidade causa a destruição dos glóbulos vermelhos no feto, o que afeta a sua sobrevivência. O fator Rh torna-se importante se a mãe for Rh negativo e o feto for Rh positivo, o que pode ocorrer caso o pai seja Rh positivo e o bebé herde esta característica. Nestas situações, se o sangue do feto entrar na corrente sanguínea da mãe, o sistema imunológico desta pode reagir contra o antígeno D do sangue do bebé e produzir anticorpos contra ele.

 

 

Rotinas Analíticas por Trimestre

 

1º Trimestre   <13 semanas

  • Tipagem ABO e fator Rh
  • Pesquisa de aglutininas irregulares (Teste de Coombs indireto)
  • Hemograma Completo
  • Glicémia em jejum
  • VDRL- Rastreio da Sífilis
  • Serologia Rubéola – IgG e IgM
  • Rastreio da Infeção do VIH
  • Rastreio da Hepatite B
  • Rastreio da bacteriúria assintomática
  • Rastreio Bioquímico do 1º Trimestre, a PAPP-A (Proteína Plasmática A associada à Gravidez) e a ß-HCG livre (Subunidade β livre da Hormona Gonadotrófica Coriónica), com grande sensibilidade e especificidade para o despiste das Trissomias 21, 18 e 13.

 

2º Trimestre

 

Entre a 18ª Semana – 20ª Semana

  • Serologia Rubéola

 

Entre a 24ª - 28ª Semana

  • Hemograma Completo
  • PTGO c/ 75g
  • Serologia Toxoplasmose- IgG e IgM
  • Urocultura com eventual teste de sensibilidade aos antibióticos
  • Pesquisa de aglutininas irregulares (Teste de Coombs indireto) nas mulheres Rh negativo*
  • Rastreio Bioquímico do 2º Trimestre, a PAPP-A e a AFP (Alfa- Fetoproteína)

*Nas 4 semanas antes da administração da imunoglobulina anti-D

 

 

3º Trimestre

 

Entre a 32ª - 34ª Semana

  • Hemograma Completo
  • VDRL
  • Serologia Toxoplasmose - IgG e IgM (em mulheres não imunes)
  • VIH 1 e 2
  • Rastreio da Hepatite B, pesquisa de AgHBs, (apenas as grávidas não vacinadas e não imunes no 1º Trimestre).
  • Urocultura com eventual teste de sensibilidade aos antibióticos (TSA)

 

Entre a 35ª - 37ª Semana

  • Colheita (1/3 externo da vagina e ano-retal) para pesquisa específica de Streptococcus β hemolítico do grupo B

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:27



Número Verde

800 209 498


Traduzir


Médico Responsável:Dr. José Germano de Sousa

germano Nasceu em Lisboa em 1972. É Médico pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa desde 1997. Fez os seus Internatos no Hospital dos Capuchos (Internato Geral) e no Hospital Fernando Fonseca (Internato da Especialidade). É especialista em Patologia Clínica pela Ordem dos Médicos desde 2001 e é atualmente Assistente Graduado de Patologia Clínica do Serviço Patologia Clínica do Hospital Fernando Fonseca (Amadora Sintra) onde é o chefe da secção de Biologia Molecular Possui uma pós Graduação em Gestão de Unidades de Saúde pela Universidade Católica Portuguesa. Foi Assistente de Patologia Geral e de Semiótica Laboratorial nos Cursos de Técnicos de Análises Clínicas e Curso de Médicos Dentistas do Instituto Egas Moniz.Exerce desde 2001 a sua atividade privada, sendo desde Julho de 2004 responsável pela gestão dos Laboratórios Cuf e Clínicas Cuf para a área de Patologia Clínica. Tem várias comunicações e publicações sobre assuntos da sua especialidade


Envie a sua questão

laboratoriosgermanodesousa@sapo.pt

Contactos Laboratório Central

Site:
www.germanodesousa.com

Morada:
Pólo Tecnológico de Lisboa
Rua Cupertino de Miranda, 9 - lote 8
1600-513 Lisboa, Portugal

Marcações:
Tel.: 212 693 530 /531 /532 /533
Email: contact@cm-lab.com

Horário de Funcionamento:
Dias úteis 7h30 às 20h00
Sábados 8h00 às 14h00

Horário de Colheita:
Dias úteis 7h30 - 20h00
Sábados 8h00 às 14h00