Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



HPV e Cancro do Colo do Útero

por Laboratórios Germano de Sousa, em 22.01.14

HPV e Cancro do Colo do Útero – Sintomas e Tipologias de Rastreio

 

O Vírus do Papiloma Humano (HPV)é um vírus que infeta as células da pele ou mucosas e possui mais de 200 serotipos diferentes. A maioria dos subtipos está associada a lesões benignas, mas certos tipos são frequentemente encontrados em determinadas neoplasias de carácter maligno. O cancro do colo do útero é a consequência mais grave da infeção pelo HPV.

É já considerado um dos cancros mais frequentes na população feminina e o HPV é a sua principal causa, visto que o vírus está presente em 99,7% dos cancros do colo do útero.

O HPV é a doença sexualmente transmissível (DST) mais frequente, infetando principalmente as áreas genitais femininas e masculinas, mas também qualquer outra região do corpo.

No que concerne aos sinais e sintomas mais frequentes do HPV, a formação de verrugas é a manifestação mais característica e frequente. As verrugas são lesões hiperproliferativas benignas também designadas por papilomas. O Condiloma acuminado ou verruga genital é uma DST. Existem mais de 30 variantes de HPV que infetam a região genital, embora os tipos 6 e 11 sejam os principais responsáveis por cerca de 90% dos casos, podendo causar verrugas na vulva e ânus.

 

Como rastreio do HPV foram desenvolvidas técnicas de biologia molecular em laboratório, como o teste de captura híbrida e os testes de genotipagem emRNA E6/E7, que permitem a deteção de DNA viral em fragmentos de biópsia ou escovado cervical, e possuem ainda elevada especificidade e sensibilidade. Em relação ao teste de captura híbrida, o mesmo permite fazer o despiste inicial dos genótipos de alto risco (habitualmente em paralelo com citologia se a idade for superior a 30 anos) tendo uma sensibilidade clínica de 94%. O teste de genotipagem permite um caraterização individual dos genótipos, estando o teste do mRNA E6/E7 reservado para a detecção da persistência e replicação do DNA Viral, enquanto marcador da instabilidade cromossómica e marcador de transformação oncogénica.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:08


Número Verde

800 209 498


Traduzir


Médico Responsável:Dr. José Germano de Sousa

germano Nasceu em Lisboa em 1972. É Médico pela Faculdade de Ciências Médicas da Universidade Nova de Lisboa desde 1997. Fez os seus Internatos no Hospital dos Capuchos (Internato Geral) e no Hospital Fernando Fonseca (Internato da Especialidade). É especialista em Patologia Clínica pela Ordem dos Médicos desde 2001 e é atualmente Assistente Graduado de Patologia Clínica do Serviço Patologia Clínica do Hospital Fernando Fonseca (Amadora Sintra) onde é o chefe da secção de Biologia Molecular Possui uma pós Graduação em Gestão de Unidades de Saúde pela Universidade Católica Portuguesa. Foi Assistente de Patologia Geral e de Semiótica Laboratorial nos Cursos de Técnicos de Análises Clínicas e Curso de Médicos Dentistas do Instituto Egas Moniz.Exerce desde 2001 a sua atividade privada, sendo desde Julho de 2004 responsável pela gestão dos Laboratórios Cuf e Clínicas Cuf para a área de Patologia Clínica. Tem várias comunicações e publicações sobre assuntos da sua especialidade


Envie a sua questão

laboratoriosgermanodesousa@sapo.pt

Contactos Laboratório Central

Site:
www.germanodesousa.com

Morada:
Pólo Tecnológico de Lisboa
Rua Cupertino de Miranda, 9 - lote 8
1600-513 Lisboa, Portugal

Marcações:
Tel.: 212 693 530 /531 /532 /533
Email: contact@cm-lab.com

Horário de Funcionamento:
Dias úteis 7h30 às 20h00
Sábados 8h00 às 14h00

Horário de Colheita:
Dias úteis 7h30 - 20h00
Sábados 8h00 às 14h00